• Redação da Rádio Nova Era

Câmara aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro


Finalizada nesta terça-feira (22) a votação no Congresso do projeto que altera o Código de Trânsito Brasileiro. O texto segue agora para sanção do presidente da República.


A proposta foi votada novamente pela Câmara, já que os senadores fizeram modificações no texto que havia sido aprovado pelos deputados.


Os parlamentares aumentaram para 10 anos a validade da Carteira Nacional de Habilitação no caso dos motoristas com até 50 anos de idade e vincularam a suspensão do direito de dirigir ao número de pontos e à gravidade da infração.


O prazo atual, de cinco anos, continua valendo para os habilitados com mais de 50 anos de idade.


Também pelo texto passa ser proibida a conversão de pena de reclusão por penas alternativas no caso de morte ou lesão corporal provocada por motorista bêbado ou sob efeito de drogas.


O código impõe pena de reclusão de 5 a 8 anos para o homicídio culposo ao volante praticado por motorista embriagado ou sob efeito de drogas e pena de reclusão de 2 a 5 anos no caso de lesão corporal grave ou gravíssima.


Outra novidade é a obrigatoriedade do uso da cadeirinha no transporte de crianças, que foi incorporada ao Código de Trânsito e a infração continua gravíssima. No texto original, o governo tinha proposto o fim da penalidade.


Sobre a pontuação, o texto prevê a suspensão da habilitação se o condutor atingir 40 pontos em 1 ano, conforme haja infrações gravíssimas ou não.


Atualmente, a suspensão ocorre com 20 pontos, independentemente de haver esse tipo de infração.


Para começar a valer as novas regras o texto deve passar ainda pela sanção do presidente Jair Bolsonaro.


Fonte: Agência Brasil

2 visualizações

Av. Paraná, 540 - Centro

Borrazópolis - Paraná

WhatsApp:

(43) 9 9981-6178

Fixo (PABX):

(43) 3452-1233

Comercial:

(43) 9 9639-3516

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • Twitter

RÁDIO NOVA ERA AM 540 | Uma emissora do Sistema Nova Era de Comunicação
Direção: Valdinei Del Grande | Site: Eduardo Pasqualin