Atlético-MG vence Flamengo nos pênaltis e conquista a Supercopa do Brasil


Em partida movimentada na Arena Pantanal, em Cuiabá, a Supercopa foi decidida nos detalhes entre Atlético-MG e Flamengo. Depois de empate por 2 a 2 nos 90 minutos, a disputa por pênaltis envolveu todos os jogadores que estavam em campo e só foi definida quando Vitinho desperdiçou sua segunda cobrança. O Galo venceu por 8 a 7 e conquistou o título inédito. O Rubro-Negro havia vencido as duas primeiras edições da competição.


Mesmo em início de temporada, as duas equipes imprimiram um ritmo forte desde o início, com o Flamengo mais presente no campo de ataque e o Galo perigoso de forma mais eficiente. Gabigol teve duas chances na primeira etapa, mas acabou concluindo para fora em ambas as oportunidades.


Já a equipe mineira foi certeira. Aos 40 minutos, Guilherme Arana arriscou de fora da área, o goleiro Hugo Souza espalmou para frente e o argentino Nacho Fernández aproveitou o rebote para abrir o placar em Cuiabá.


Na segunda etapa, disposta a mudar o destino do jogo, a equipe comandada pelo português Paulo Sousa foi para cima e conseguiu a virada antes dos vinte minutos de partida.


Aos 10 minutos, Arrascaeta recebeu grande lançamento pela esquerda e cruzou. Bruno Henrique cabeceou, Everson fez grande defesa, mas o rebote caiu nos pés de Gabigol, que estufou as redes para empatar.


Oito minutos depois, em lance rápido de Lázaro, que havia acabado de entrar, Bruno Henrique recebeu de frente para Everson e tocou com categoria para encobrir o goleiro e virar o placar.


Aos 30, a igualdade foi novamente estabelecida no placar. Após cruzamento da direita, o chileno Vargas ajeitou de cabeça e Hulk, depois de dominar a bola, fuzilou a meta adversária.


Cientes do destino que levaria a definição do campeão para a disputa por pênaltis, os dois times se lançaram ao ataque em busca do gol salvador. O Galo teve a oportunidade com o volante Jair, que chutou colocado da entrada da área e parou no goleiro Hugo Souza.


Já o Flamengo quase marcou em jogada trabalhada por Gabigol e Vitinho pela esquerda, mas Guilherme Arana foi providencial para fazer o corte quando Lázaro chegava para finalizar na cara do gol.


Continue lendo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo