Aprovado o primeiro medicamento para tratar casos graves no SUS


O baractinibe passa a ser primeiro medicamento para o tratamento da covid-19 incorporado pelo SUS, Sistema Único de Saúde, já tem registro no Brasil com indicação para artrite reumatoide ativa moderada a grave e dermatite atópica moderada a grave. O medicamento foi aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde, para tratar casos graves de Covid-19 de pacientes hospitalizados. A administração do remédio é realizada apenas em hospitais, não é possível comprá-lo em uma farmácia. Segundo os estudos da comissão, o uso do medicamento pode contribuir para uma redução significativa de mortes por covid-19 de pacientes adultos hospitalizados e que necessitam de oxigênio por máscara ou cateter nasal, ou que precisam de alto fluxo de oxigênio ou ventilação não invasiva. O remédio atua sobre o sistema imune, auxiliando no processo de recuperação de quadros inflamatórios. De acordo com a farmacêutica responsável pela fabricação do remédio, ele reduz em até 38% a mortalidade dos pacientes hospitalizados com Covid-19. O dado é de um estudo clínico realizado em diversos países, entre eles o Brasil. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia autorizado o uso do medicamento em pacientes graves, alegando por meio de pesquisas que ele aumenta a probabilidade de sobrevivência às complicações que o coronavírus pode causar.


Por Fernanda Nardo/ Aerp.

19 visualizações0 comentário